sexta-feira, agosto 29, 2008

Cookies glaçados de laranja e especiarias e filmes de terror

English version

Orange-spice glazed cookies

Minha mãe não me deixava ver filmes de terror quando pequena. Mas eu sempre dava um jeitinho de espiar, nem que por alguns minutos. Alguns filmes eram mesmo apavorantes, minha mãe tinha razão. Há dois dos quais me lembro até hoje, apesar de não saber os nomes.

Em um deles, uma família feliz começa a desmoronar porque a filha caçula parece estar possuída ou algo assim. Em uma das cenas, há um acidente de trânsito e toda a família sai correndo do carro antes de tudo explodir. Mas a caçula junta os cadarços dos dois tênis da irmã mais velha, amarrando-os, e ela não consegue se mover. E morre. Que medo.

No outro filme, tudo o que consigo recordar é o final, em que há um homem gritando e a câmera se aproxima dele até entrar pela garganta e tudo ficar preto. Daí, os créditos sobem. Igualmente assustador.

Vocês sabem que filmes são esses? Fico me perguntando se não serão uns filmes bem ruinzinhos e eu aqui, curiosa, todo esse tempo.

Como os cookies das fotos. Fiquei curiosa por meses e meses e quando finalmente preparei os biscoitos eles não ficaram bonitinhos como os da receita original. :(

UPDATE: A minha amiga C. leu o post e ficou uma arara comigo... Ela disse que não fui honesta com vocês; na opinião dela, tirei as fotos com fundos claros de propósito para fazer com que os cookies não ficassem bonitos e tambem não mencionei como eles ficaram deliciosos.
Pronto, C. - recado dado!

Orange-spice glazed cookies

Cookies glaçados de laranja e especiarias

- xícara medidora de 240ml

Cookies:
1 ¼ xícaras (175g) de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 ¼ xícaras (250g) de açúcar granulado
1 ovo grande
1 colher (chá) de baunilha
½ colher (chá) de cremor tártaro
3 xícaras (420g) de farinha de trigo
raspas da casca de 1 laranja
1 colher (chá) de canela em pó
½ colher (chá) de gengibre em pó
½ colher (chá) de pimenta-da-jamaica moída
½ colher (chá) de noz-moscada moída na hora
1 pitada de sal

Glacê:
1 xícara (140g) de açúcar de confeiteiro peneirado
gotinhas de baunilha
2 colheres (sopa) de suco de laranja

Unte duas assadeiras grandes, de beiradas baixas, e reserve – forrei as assadeiras com papel manteiga.

Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar em velocidade alta, raspando as laterais da tigela algumas vezes, até obter um creme leve e claro (cerca de 3 minutos). Passe para a velocidade baixa, junte o ovo e a baunilha e misture bem.

Acrescente o cremor tártaro, a farinha, as raspas de laranja e o sal, misturando em velocidade baixa até incorporar tudo. Aumente para a velocidade média e bata até obter uma bola de massa.
Caso a massa esteja macia demais para ser aberta com o rolo, embale-a com filme PVC e leve à geladeira até firmar – refrigerei a minha massa por uma hora e meia.

Pré-aqueça o forno a 175ºC e prepare o glacê misturando bem todos os ingredientes numa tigelinha.

Numa superfície bem enfarinhada, abra a massa com um rolo até que ela fique com pouco mais de meio centímetro de espessura. Usando cortadores de biscoito com os seus formatos preferidos, corte os cookies e transfira-os para as assadeiras preparadas e asse por 8-10 minutos.

Retire a assadeira do forno e imediatamente pincele cada cookie com uma quantidade generosa de glacê. Volte-os ao forno e asse por mais 5 ou 6 minutos ou até que os cookies dourem e a cobertura comece a rachar, dando um efeito de craquelê. Retire-os novamente do forno e deixe esfriar na assadeira.

Rend.: aprox. 30 cookies médios – fiz meia receita e consegui 35 unidades com um cortador de 5cm

quarta-feira, agosto 27, 2008

Polenta grelhada recheada com queijo e manjericão

English version

Grilled cheese and basil polenta

Nunca pensei que isso pudesse acontecer, mas... Donna Hay me desapontou.

Aconteceu sábado passado – minha caixinha da Amazon chegou e mal pude esperar para ver os livros novos. O livrinho da Donna era tão fofo! Comecei a folheá-lo, ansiosa para escolher a primeira receita para preparar. Infelizmente, ao bater os olhos nas fotos, apenas uma coisa me veio à mente: “Já vi isso antes. E isso também. E isso”.
Muitas daquelas receitas haviam sido publicadas anteriormente em outros livros e revistas da Donna Hay – aqueles na minha estante. :(

Não estou interessada em comprar livros com receitas que já possuo e acho que vocês também não – por isso quis lhes contar o ocorrido. Deletei da minha wish list os outros volumes da coleção “Simple Essentials”.

Como um lembrete do quão maravilhosas as receitas da Donna Hay são, preparei esta polenta (da revista, #40). Vou lhes dizer: isto é o que chamo de fazer as pazes. :)

Grilled cheese and basil polenta

Polenta grelhada recheada com queijo e manjericão
da Donna Hay magazine

3 xícaras (750ml) de água
1 xícara (170g) de polenta instantânea (Polentina)
60g de manteiga em cubos
½ xícara (50g) de parmesão ralado bem fininho
sal e pimenta do reino moída na hora
½ xícara de folhas de manjericão
2 xícaras (200g) de mozarela passada no ralo grosso
azeite de oliva, para pincelar

Leve a água ao fogo médio numa panela até ferver. Aos poucos, junte a polenta, mexendo sempre para não empelotar – cuidado para não se queimar, pois a danada começa a “pular” quando muito quente. Continue mexendo, cozinhando por 2-3 minutos, ou até engrossar.
Retire a polenta do fogo e acrescente a manteiga, o parmesão, o sal e a pimenta, mexendo bem. Despeje metade da polenta numa forma quadrada de 20cm forrada com papel manteiga untado (usei papel alumínio, sem precisar untar) e espalhe por todo o fundo da forma. Cubra com o queijo e o manjericão e finalize com a polenta restante, alisando a superfície. Leve à geladeira por 15 minutos ou até endurecer.
Corte em quadrados ou retângulo e pincele com azeite. Aqueça uma frigideira antiaderente e frite a polenta por 3-4 minutos de cada lado, até dourar e o queijo do recheio derreter – você pode grelhar a polenta na grade da churrasqueira, se preferir.
Sirva com vitela, cordeiro ou filé grelhados e salada de espinafre.

Rend.: 2 porções – tenho certeza de que a receita serve 4 pessoas dependendo do que for servido junto

segunda-feira, agosto 25, 2008

Panna cotta de saquê

English version

Sake panna cotta

Minha talentosa e querida amiga Clarice está promovendo um evento especial para celebrar o Centenário da Imigração Japonesa no Brasil. Para quem não conhece seu lindo blog, ela é brasileira, de ascendência japonesa e vive no Japão há quase duas décadas.

evento Clarice

Eu não poderia deixar de participar e, para isso, deveria cozinhar algo usando algum ingrediente japonês. Pensei em várias receitas e acabei escolhendo esta aqui – apenas substituí a grappa por saquê. Foi a primeira vez que preparei panna cotta e o resultado me agradou bastante – o sabor do saquê ficou bem sutil e as maçãs cozidas com a calda foram um complemento ótimo.

Clarice, espero que goste da minha receita! Demorei a postar porque queria prepará-la na minha cozinha nova. :)

Sake panna cotta

Panna cotta de saquê
adaptada da Australian Gourmet Traveller

300ml de creme de leite fresco
300ml de creme de leite de caixinha
110g de açúcar refinado
casca de 1 limão siciliano, retirada com um descascador de legumes
60ml de saquê
6 folhas de gelatina sem sabor incolor*, mergulhadas em uma tigelinha com água fria

Maçãs ao saquê:
2 maçãs do tipo Gala, sem os miolos e cortadas em fatias finas (mantenha a casca)
suco de 1 limão siciliano
165g de açúcar refinado
raspas da casca de ½ limão siciliano
12 cravos
125ml de saquê

Misture os dois tipos de creme de leite, o açúcar, a casca de limão e metade do saquê numa panela e leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até dissolver o açúcar (4-5 minutos). Aumente para o fogo médio e cozinhe, mexendo, até a mistura começar a ferver (4-5 minutos). Esprema a gelatina entre os dedos para eliminar o excesso de água e junte-a ao creme, mexendo bem para dissolvê-la. Retire do fogo e deixe chegar à temperatura do corpo.
Passe por uma peneira, junte o saquê restante, misture e despeje o líquido em 6 moldes com capacidade para 120ml molhados por dentro. Leve à geladeira de um dia para o outro ou até firmar.

Faça as maçãs: coloque as maçãs numa tigelinha e regue com o suco de limão. Reserve.
Numa panela, misture o açúcar, as raspas de casca de limão e ¾ xícara (180ml) de água. Leve ao fogo médio até ferver, reduza para o fogo baixo e deixe cozinhar até a calda reduzir para ¾ xícara (8-10 minutos).
Escorra as maçãs, reservando o suco de limão e junte-as à calda. Adicione metade do saquê em seguida e mexa bem. Aumente para o fogo médio até ferver e em seguida passe para o fogo baixo novamente, deixando as maçãs cozinharem até ficarem transparente, mexendo ocasionalmente (35-40 minutos). Acrescente o suco de limão reservado e o restante do saquê, misture e deixe cozinhar mais um pouquinho, até formar uma calda (8-10 minutos). Deixe esfriar.

Na hora de servir, mergulhe rapidamente o fundo dos moldes de panna cotta em água bem quente e inverta-os em pratinhos de sobremesa. Sirva a panna cotta com as maçãs e a calda.

* a receita original pedia 2 ½ folhas de gelatina com “poder de titânio”. Não sei que poder é esse, por isso usei 6 folhas de gelatina comum; acho que 5 teriam sido suficientes.

Rend.: 6 porções

Sake panna cotta

sexta-feira, agosto 22, 2008

Bolo ultra úmido de amêndoas e limão siciliano

English version

Damp lemon and almond cake

A KJ e seu divertido desafio têm sido uma inspiração para mim. Tenho tantos livros e revistas bacanas... E mesmo assim sempre opto pelos mesmos.

Quero usar mais os outros livros, aqueles que não tenho tirado da prateleira por séculos. Decidir o livro não foi uma tarefa fácil; a receita, entretanto, foi escolhida num piscar de olhos.

A Nigella diz que se vocês conseguirem resistir ao bolo – o que acho difícil – podem embrulhá-lo em duas camadas de papel alumínio e guardá-lo por uns dias, para que tanto o sabor quanto a textura úmida fiquem mais apurados. Não sei se dá certo, pois não sobrou bolo nenhum para ser embrulhado. :)
Acho que o único meio de descobrir se a Nigella está dizendo a verdade é fazer dois bolos de uma só vez. :)

Damp lemon and almond cake

Bolo ultra úmido de amêndoas e limão siciliano
do How to Be a Domestic Goddess

- xícara medidora de 240ml

1 xícara (226g) de manteiga sem sal, amolecida
¾ xícara (150g) de açúcar
4 ovos grandes
1/3 xícara (47g) de farinha de trigo
1 1/3 xícaras de farinha de amêndoas
½ colher (chá) de essência de amêndoas
suco e raspas das cascas de 2 limões sicilianos

Pré-aqueça o forno a 180ºC; forre o fundo de uma forma redonda de 20cm de aro removível com papel manteiga – usei uma de fundo removível.

Bata a manteiga e o açúcar até que fiquem quase brancos. Junte os ovos, um a um, seguidos de ¼ da quantidade de farinha a cada adição. Quando todos os ovos e toda a farinha tiverem sido incorporados, misture delicadamente a farinha de amêndoas, a essência de amêndoas, o suco e as raspas de limão. Despeje a mistura na forma preparada e leve ao forno por 1 hora, checando após 50 minutos – talvez seja necessário cobrir o bolo frouxamente com papel alumínio após 30 minutos para que o topo não queime.
Faça o teste do palito para saber se o bolo está pronto e não o asse em demasia ou não obterá a textura úmida.
Retire o bolo do forno e deixe-o na assadeira por 5 minutos. Vire-o numa gradinha e deixe esfriar completamente.
Corte em fatias e polvilhe com açúcar de confeiteiro antes de servir.

Rend.: 6-8

quarta-feira, agosto 20, 2008

Queijo coalho em crosta de pignoli com pimentão assado

English version

Pine nut-crusted cheese with roasted pepper

Acho que já passaram por isso: uma receita maravilhosa nas mãos mas um dos ingredientes não é fácil – quiçá impossível – de se encontrar. Tudo bem, usemos outro produto.

A Valentina me disse uma vez que o queijo coalho é parecido com o haloumi – até faz aquele barulhinho nos dentes quando mordido. Então, queijo coalho seria. Mas o tipo encontrado no supermercado era aquele em palitinhos. :(
Não querendo pedir ao pobre do marido para ir a mais um mercado, decidi “colar” os palitinhos de queijo na frigideira antes de passá-los pela mistura de pignoli. Ah, quanta esperteza! Exceto por um pequeno detalhe: o queijo não derretia. Nadinha. Por isso, meu plano não funcionou, como podem ver na foto. Mas a receita é tão gostosa que tinha de compartilhá-la com vocês.
Recomendo muito - com o queijo certo, é claro. :)

Pine nut-crusted cheese with roasted pepper

Queijo coalho em crosta de pignoli com pimentão assado
da Donna Hay magazine

½ xícara (80g) de pignoli tostados
2 dentes de alho amassados
1 ½ xícaras de folhas de salsinha - misturei salsinha e orégano fresco
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
sal marinho e pimenta do reino moída na hora
250g de queijo coalho fatiado
2 colheres (sopa) de azeite de oliva - extra
450g de pimentão vermelho em conserva*

Coloque os pignoli, o alho, a salsinha, o azeite, o sal e a pimenta num processador de alimentos pequeno e pulse algumas vezes, para misturar – não moa completamente os pignoli. Espalhe esta mistura sobre as fatias de queijo.
Aqueça o azeite extra numa frigideira antiaderente grande em fogo alto. Adicione as fatias de queijo e frite por 1-2 minutos de cada lado, até dourar.
Sirva imediatamente com o pimentão.

* Ou remova as tampas dos pimentões, corte-os ao meio, retire todas as sementes e as partes brancas. Coloque as metades numa assadeira ligeiramente untada com óleo, com a parte da pele virada para cima. Pincele com azeite e leve ao forno pré-aquecido (200ºC) até que a pele comece a ficar com pontos pretos. Retire do forno e imediatamente transfira os pimentões para uma tigela de vidro. Em seguida, cubra-a firmemente com plástico ou filme PVC e deixe esfriar – a pele dos pimentões sairá facilmente.

Rend.: 4 porções

segunda-feira, agosto 18, 2008

Bolo chiffon triplo de limão siciliano com morangos para o aniversário da minha irmãzinha

English version

Triple lemon chiffon cake with strawberries for my little sister’s birthday

Ela pode não se parecer nadinha comigo, mas pelo menos uma coisa temos em comum: minha irmã ama cítricos, também.

Jessica, my brother and I

Quando ela era pequena, eu a carregava para todos os lugares – éramos como ervilhas e cenouras. :)

Às vezes, íamos comer um docinho no shopping e dentre todas aquelas sobremesas decadentes cheias de chocolate a escolha dela era sempre a mesma: torta mousse de maracujá. Na época, achava que era por causa da mania dela de me copiar em tudo o que eu fazia – as mesmas roupas, a mesma comida... Mas agora ela é uma adolescente super independente e o seu amor pelos cítricos e azedos continua: perguntei que sabor de bolo ela iria querer para seu aniversário e ela me pediu idéias. “Que tal chocolate + morangos? Ou limão + morangos?”, sugeri. E a resposta deixou a irmã mais velha cheia de orgulho. :)

Jessica

Adaptei três receitas diferentes do mesmo livro: uma para o bolo em si, outra para o recheio e uma terceira para a cobertura. O resultado foi um bolo extremamente macio – quase impossível de fatiar – com um toque delicioso e azedinho de limão. A receita que posto é para um bolo triplo de 22cm; usei formas de 25cm e por isso fiz umas contas malucas: preparei ¾ da receita da massa do bolo para duas formas, e depois metade daquela receita para a terceira assadeira. Para o recheio e cobertura, fiz as receitas abaixo + ¼ (sobrou ½ xícara de cobertura).

Jessica

Sei que não sou a única, mas aos 15 anos me sentia muito perdida e sozinha. Foi quando a Jéssica chegou às nossas vidas, trazendo muito amor e compreensão a um lar quase despedaçado. Ela foi um presente para todos nós e sempre tentei ao máximo ser uma boa irmã – para que agora ela, aos 15, não se sinta como eu naquela idade.

Triple lemon chiffon cake with strawberries for my little sister’s birthday

Bolo chiffon triplo de limão siciliano com morangos
do Sky High: Irresistible Triple-Layer Cakes

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
8 ovos, claras e gemas separadas
¼ xícara (60ml) de óleo vegetal
2 colheres (sopa) de suco de limão siciliano espremido na hora
1 colher (sopa) de raspas da casca do limão
1/3 xícara (80ml) de água
½ colher (chá) de cremor tártaro
1 ½ xícaras (300g) de açúcar
1 ¾ xícaras (245g) de farinha para bolos*
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
½ colher (chá) de sal

Mousse de chocolate branco e limão siciliano:
100g de chocolate branco picado
¾ xícara (180ml) de creme de leite fresco
1 clara de ovo
1 colher (sopa) de açúcar
raspas da casca de ½ limão siciliano
1 colher (sopa) de suco de limão siciliano
1-1 ¼ xícaras de morangos fatiados

Cobertura (buttercream):
3 claras de ovo
¾ xícara (150g) de açúcar
¼ xícara (60ml) de suco de limão siciliano espremido na hora
250g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente

Para decorar:
casquinhas de limão siciliano cristalizadas e/ou morangos frescos

Comece com o bolo: pré-aqueça o forno a 180ºC. Forre o fundo de três formas redondas de 22cm com papel manteiga mas não unte as formas.

Numa tigela média, misture as gemas, o óleo, o suco e as raspas de limão e a água.

Na tigela grande da batedeira, bata as claras com o cremor tártaro em velocidade média até espumarem. Aos poucos, junte ½ xícara (100g) do açúcar e continue batendo até formar picos moles.

Peneire a farinha, a xícara de açúcar restante (200g), o bicarbonato e o sal numa tigela bem grande. Misture. Faça um buraco no centro e nele despeje a mistura de gemas. Mexa, formando uma pasta. Junte ¼ das claras batidas e misture de baixo para cima, levemente, para dar leveza à massa. Adicione as claras restantes e misture delicadamente. Divida a massa entre as assadeiras preparadas.

Asse por 16 minutos ou até que um palito inserido no centro de cada bolo saia limpo. Transfira as assadeiras para gradinhas e deixe os bolos esfriarem completamente. Para desenformar, passe uma faquinha sem corte nas laterais das formas e inverta-as para soltar os bolos – nem precisei fazer isso, pois os bolos soltaram das laterais da forma assim que começaram a esfriar. Retire o papel manteiga com cuidado.

Faça o recheio: derreta o chocolate com ¼ xícara de creme de leite em banho-maria. Misture até obter um creme brilhante. Retire do fogo, junte o suco de limão e misture bem. Reserve até que esteja em temperatura ambiente.

Bata o creme de leite restante com as raspinhas de limão até chegar ao ponto de chantilly. Numa outra tigelinha bem seca e limpa, bata a clara com o açúcar até obter um merengue brilhante e firme.
Misture o merengue ao creme de chocolate branco e misture delicadamente. Junte o chantilly e mexa rapidamente – não misture demais para não arruinar a textura da mousse. Mantenha na geladeira até a hora de usar.

Agora, a cobertura: coloque as claras na tigela grande da batedeira e acople o batedor de arame.

Numa panela pequena – não use panela de alumínio, cobre ou ferro - misture o suco de limão e o açúcar e leve ao fogo alto, mexendo até dissolver o açúcar. Deixe ferver, sem misturar, até que a calda atinja 115ºC.

Ligue a batedeira na velocidade média-baixa e, aos poucos, despeje a calda quente em fio sobre as claras, batendo sempre – cuidado para não deixar cair calda nos batedores (pode espirrar em você). Bata em veloc. média até que o merengue chegue à temperatura do corpo.

Passe a batedeira para a veloc. média-baixa e vá juntando a manteiga, várias colheradas por vez. Bata até formar uma cobertura amanteigada.

Montagem do bolo: coloque um dos bolos num prato ou suporte. Espalhe metade do recheio sobre ele e cubra com metade das fatias de morango. Coloque o segundo bolo e repita o procedimento com o recheio e morangos restantes. Finalize com o último bolo. Cubra o topo e as laterais do bolo com a cobertura e alise com uma espátula. Decore com as cascas de limão siciliano cristalizadas e/ou morangos frescos.

Rend.: 16-20 porções

Triple lemon chiffon cake with strawberries for my little sister’s birthday

sexta-feira, agosto 15, 2008

Cookies com gotas de chocolate e amêndoas

English version

Chocolate chip and almond cookies

Um episódio de “Law & Order – Criminal Intent” me fez pensar sobre substituições – mais precisamente, nas que funcionam ou não.

Por mais que eu adore o Mr. Big, o que é que ele está fazendo no lugar do Robert Goren? O personagem é a alma do seriado e o Vincent D’Onofrio é absurdamente fantástico (sim, sou muito fã dele). Pra mim, uma péssima substituição – o Chris Noth deveria voltar ao outro L&O.

Estes cookies, entretanto, me surpreenderam de uma ótima maneira. Sempre vejo pecãs ou nozes sendo adicionadas aos cookies de gotas de chocolate – eu mesma já os fiz assim – mas nunca amêndoas. Por isso mesmo quis experimentar a receita. Além de render uma tonelada de cookies – o que foi bárbaro, já que a minha intenção era dividi-los com um grupo grande – a combinação de chocolate e amêndoas realmente funciona.

Chocolate chip and almond cookies

Cookies com gotas de chocolate e amêndoas
daqui

- xícara medidora de 240ml

1 xícara (226g) de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
1 xícara (175g) de açúcar mascavo – aperte-o na xícara na hora de medir
½ xícara (100g) de açúcar granulado
2 colheres (sopa) de glucose de milho
1 colher (chá) de baunilha
1 ovo grande
2 ¾ xícaras (385g) de farinha de trigo
½ colher (chá) de sal
1 ¼ colheres (chá) de bicarbonato de sódio
335g de chocolate meio amargo, picado ou em gotas
1 xícara (112g) de amêndoas tostadas e picadas – usei amêndoas em lâminas

Pré-aqueça o forno a 190ºC e forre duas assadeiras grandes, de beiradas baixas, com papel manteiga ou papel alumínio.

Com a batedeira em velocidade média-alta, bata a manteiga, os açúcares mascavo e granulado, a glucose de milho e a baunilha por 3 minutos. Adicione o ovo e bata para misturar.

Numa outra tigela, peneire a farinha, o sal e o bicarbonato. Reduza a batedeira para a velocidade baixa e acrescente os ingredientes peneirados. Junte o chocolate e as amêndoas e misture.
Faça bolinhas com 1 colher (sopa) nivelada de massa e coloque-as nas assadeiras preparadas, deixando 5cm de distância entre uma e outra.

Asse até que dourem nas extremidades, 12 a 15 minutos. Deixe os cookies nas assadeiras por 5 minutos, transfira-os para uma gradinha e deixe que esfriem completamente.

Rend.: 60 unidades

quarta-feira, agosto 13, 2008

Pesto ao contrário da Nigella

English version

Nigella’s unpestoed pesto

Parte 2 – não é algo que gosto de ver no título de um filme. Alguns me deixam curiosa, admito, enquanto outros... Podem até se tornar manchas na carreira de alguém – aposto que a indicada ao Oscar Amy Adams concordaria comigo. :)

“Ela já postou macarrão ao pesto”, vocês podem pensar. E estão certos. Já que seqüências podem ser brilhantes, também, lhes apresento o meu pesto parte 2.

Vi a Nigella preparando esta massa, mas não deu para anotar as quantidades – fiz a olho. Acabei encontrando a receita online, por isso publico aqui.

Apesar de ser um macarrão simples de fazer, serei honesta: prefiro o pesto original. Mas isso não significa que vocês não possam dar uma chance à parte 2.

Nigella’s unpestoed pesto

Pesto ao contrário da Nigella

- xícara medidora de 240ml

450g de espaguete
1 xícara (240ml) de azeite de oliva – usei menos
5 dentes de alho descascados
1 maço de folhas frescas de manjericão
½ xícara de pignoli
225g de parmesão em pedaço
sal marinho e pimenta do reino moída na hora

Ferva bastante água numa panela grande, salgue e cozinhe o espaguete. Enquanto isso, aqueça o azeite numa frigideira grande e junte o alho. Refogue em fogo baixo até que o alho comece a dourar e a perfumar a cozinha. Retire os dentes de alho do azeite e remova a panela do fogo.

Pique grosseiramente ou rasgue com as mãos as folhas de manjericão; reserve. Numa outra frigideira, seca, em fogo baixo, toste levemente o pignoli, mexendo sempre para não queimar. Retire do fogo e reserve também.
Quando o macarrão estiver al dente, escorra-o, misture-o ao azeite aromatizado com alho e transfira para uma tigela aquecida.
Com um descascador de legumes, faça lascas de parmesão e junte ao macarrão. Polvilhe com o pignoli, adicione uma parte do manjericão e misture.
Polvilhe com o sal, a pimenta e o restante do manjericão e sirva em seguida.

Rend.: 4 porções

segunda-feira, agosto 11, 2008

Bolo de maçã de Dorset

English version

Dorset apple cake

Posso começar “dizendo” que vocês são o máximo? Obrigada por todos os votos de felicidade para a minha casa nova; vocês colocaram um sorriso neste rosto exausto. :)

Ainda tenho algumas caixas para abrir, mas pelo menos agora o lugar parece um lar e não um depósito. :)

Ainda não preparei nada de baking na minha cozinha nova e a única coisa que cozinhei foi um espaguete rápido para o almoço de ontem – eu e o João não agüentávamos mais comer sanduíche. Por sorte, ainda tenho receitinhas para postar enquanto vou organizando minha casa.

Este bolo foi um sucesso: eu o dividi com algumas pessoas e todo mundo amou. Ficou úmido e macio. Fiquei preocupada quando o centro do bolo afundou, mas o João viu a receita original e disse que o bolo da foto parecia ter afundado, também. Decidi não ser tão dura comigo mesma e acreditar na opinião do marido – mesmo que as habilidades culinárias dele se resumam a ferver água. :)

Dorset apple cake

Bolo de maçã de Dorset
da Delicious magazine

225g de manteiga sem sal, amolecida
450g de maçãs verdes, do tipo Granny Smith
raspas da casca + o suco de 1 limão siciliano
225g de açúcar refinado + um tanto extra para polvilhar sobre o bolo
3 ovos grandes
225g de farinha de trigo com fermento
2 colheres (chá) de fermento em pó
25g de farinha de amêndoas/amêndoas moídas
1 ½ colheres (sopa) de açúcar mascavo claro

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte uma forma de aro removível funda de 25cm – usei uma de fundo removível – e forre o fundo com papel manteiga.

Descasque as maçãs, retire os miolos e corte-as em pedacinhos de 1cm. Coloque-os numa tigela e junte o suco de limão, misturando bem – assim, as maçãs não escurecerão.

Na batedeira, bata a manteiga, o açúcar (225g) e as raspas de limão até obter um creme leve e claro. Junte os ovos, um a um, e alterne-os com um pouquinho de farinha para que a massa não pareça talhada.
Peneire a farinha restante e o fermento sobre a tigela, junte as amêndoas moídas e gentilmente junte tudo, de cima para baixo, com uma espátula. Escorra as maçãs e misture-as à massa.
Transfira a massa para a forma preparada, nivele-a com uma espátula – é uma massa bem espessa – e polvilhe tudo com o açúcar mascavo. Leve ao forno por 1 hora ou até que cresça bem – faça o teste do palito. Se o bolo começar a corar depressa demais, cubra-o com papel manteiga depois de 45 minutos de forno.
Deixe esfriar na forma por 10 minutos. Desenforme o bolo e coloque-o no prato de servir. Polvilhe-o com bastante açúcar refinado. Corte o bolo em fatias generosas e sirva morno com uma colherada de clotted cream – servi com iogurte.

Rend.: 8 porções

quarta-feira, agosto 06, 2008

Beringela grelhada com tomates e queijo e um novo cantinho

English version

Grilled eggplant with tomatoes and cheese

Post curtinho hoje: estou de mudança, no meio de um montão de caixas.

Se vocês gostam de legumes, por favor, façam esta receita. Não dá para ser mais simples e os sabores são ótimos. Sirvam-na com um pão cascudo, como o italiano, para uma refeição em minutos.

Grilled eggplant with tomatoes and cheese

Beringela grelhada com tomates e queijo
inspirada em uma receita do Family Food

- xícara medidora de 240ml

2 beringelas em fatias
1/3 xícara (80ml) de azeite de oliva*
510g de tomates-cereja cortados ao meio
2 dentes de alho amassados
2 colheres (chá) de alcaparras – enxagüe-as antes de usar
½ xícara de mozarela ralada
¼ xícara de parmesão ralado
folhinhas de manjericão – estava chovendo muito e não pude colhê-las na varanda

Pré-aqueça o forno a 200ºC.

Leve uma frigideira antiaderente ao fogo médio. Pincele as rodelas de beringela com um pouco do azeite e grelhe cada fatia dos dois lados, até que fiquem macias e comecem a dourar. Transfira-as para uma assadeira ou refratário raso e grande. Tempere com sal e pimenta.

Aqueça o restante do azeite numa panelinha. Junte os tomates e o alho e refogue rapidamente até o tomate começar a murchar. Adicione as alcaparras e refogue por um minuto. Tempere com sal e pimenta e arrume-os sobre a camada de beringela. Salpique com a mozarela e o parmesão e asse por 10-15 minutos ou até que o queijo derreta e doure.
Retire do forno, salpique com as folhinhas de manjericão e sirva em seguida.

* o alho não é o meu melhor amigo na hora da digestão, por isso usei azeite aromatizado com alho e omiti o alho amassado.

Rend.: 4 porções

terça-feira, agosto 05, 2008

Cookies de limão siciliano com sementes de papoula... e nada de sementes de papoula por aqui

English version

Lemon poppy seed cookies

Depois de postar este bolo recebi alguns comentários e emails perguntando onde tinha conseguido encontrar sementes de papoula, pois estão em falta no mercado. Eu não tinha idéia disso, pois estava usando um pacotinho comprado antes da confusão toda.

Liguei na Bombay e a funcionária me contou que a semente de papoula havia sido proibida por um tempo; agora, não mais, mas as regras para a importação são tantas que as empresas não estão trazendo o produto. Fiquei tão indignada com isso! Não discuto política aqui porque não é o objetivo do blog e respeito quem me lê, mas achei o fim da picada proibir as sementes de papoula quando tanta coisa ilegal e incorreta acontece no Brasil.

Posto esses cookies super gostosos que fiz há um tempão com esperança de que esta palhaçada termine logo e todos nós possamos voltar a usar as sementes de papoula.

Lemon poppy seed cookies

Cookies de limão siciliano com sementes de papoula
daqui

- xícara medidora de 240ml

¼ xícara (60ml) de suco de limão siciliano
1 xícara (226g) de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
1 ¼ xícaras (250g) de açúcar
1 ovo grande
2 colheres (chá) de baunilha
4 colheres (chá) de raspas de casca de limão siciliano
3 xícaras (420g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de sementes de papoula + um pouquinho extra para polvilhar os cookies

Pré-aqueça o forno a 175ºC; forre duas assadeiras grandes, de beiradas baixas, com papel manteiga.

Coloque o suco de limão numa panelinha e leve ao fogo médio; deixe ferver até que reduza pela metade. Acrescente ½ xícara (113g) da manteiga e deixe-a derreter. Retire do fogo e reserve.

Peneire a farinha, o fermento e o sal numa tigela e reserve. Na tigela da batedeira, junte a outra ½ xícara (113g) de manteiga e 1 xícara (200g) de açúcar e bata até obter um creme homogêneo e claro. Acrescente o ovo e a mistura de manteiga derretida + suco de limão e bata em velocidade média-alta por 3 minutos, ou até que tudo se torne uma mistura leve e de cor clara. Misture a baunilha, as sementes de papoula e 3 colheres (chá) de raspas de casca de limão; uma vez combinados, adicione os ingredientes secos peneiros e misture em velocidade baixa – você talvez precise terminar de misturar com uma espátula de borracha/silicone.

Misture o ¼ xícara de açúcar restante e a colher (chá) de raspas de casca de limão que sobrou – esfregue o açúcar e as raspas usando as pontas dos dedos para perfumar o açúcar.
Faça bolinhas com ½ colher (sopa) de massa e coloque-as nas assadeiras preparadas, deixando 5cm entre uma e outra. Umedeça levemente o fundo de um copo, mergulhe-o na mistura de açúcar+raspas de casca de limão e pressione cada bolinha de massa. Polvilhe com um pouquinho de sementes de papoula e uma pitadinha do açúcar aromatizado com limão.

Asse por 11-12 minutos (os meus precisaram de 14) ou até que dourem nas beiradas. Deixe os cookies na assadeira por alguns minutos e em seguida transfira-os para uma gradinha para que esfriem completamente.

Rend.: 70 unidades

segunda-feira, agosto 04, 2008

French toast de canela

English version

Cinnamon French toast

Amo as comidinhas de café-da-manhã – não importa se “brasileiras” ou não. Num mundo perfeito, as pessoas poderiam comer panquecas doces, waffles, pães e muffins o dia todo, se quisessem. :)

Sou fã rabanada e, mesmo sendo uma comida com cara de Natal, já a fizemos em casa em outras épocas, mas esta foi a minha primeira french toast assim, de manhã, com frutinhas e mel.

Tinha deixado um pouco de iogurte drenando numa peneirinha e queria usá-lo para algo gostoso – os muffins da Peabody, que a Agdá também fez e ficaram lindos, me passaram pela cabeça, pois a receita pede sour cream, mas o iogurte não seria suficiente. A resposta estava neste livro.

Usei pão de forma (o único que havia em casa) e deu certo apesar de as fatias serem fininhas e delicadas. Só tive que ser cuidadosa na hora de fritar a virar o pão.

Cinnamon French toast

French toast de canela
do Kitchen: The Best of the Best

4 fatias grossas de pão, sem as cascas
1 ovo
1 colher (sopa) de açúcar – usei açúcar aromatizado com baunilha
1 colher (chá) de canela em pó
½ xícara (120ml) de leite
manteiga, para fritar
açúcar extra, para polvilhar
175g de iogurte natural, para servir
frutas frescas da estação, para servir
100ml de xarope de bordo (maple syrup), para servir – usei mel
pecãs tostadas, para servir

Corte cada fatia de pão no meio para formar retângulos. Bata o ovo, o açúcar e a canela numa tigelinha, junte o leite e misture bem.
Derreta 1 colher (sopa) de manteiga numa frigideira – usei antiaderente – em fogo médio. Mergulhe as fatias de pão na mistura de canela, banhando ambos os lados. Polvilhe um dos lados da fatia com açúcar e coloque-a na frigideira, com o lado açucarado para baixo. Frite levemente, por 3 minutos, ou até que doure. Polvilhe o lado virado para cima com açúcar, vire a fatia e doure novamente. Sirva com iogurte, frutas frescas, maple syrup/mel e um tantinho de pecãs.

Rend.: 4 porções

Cinnamon French toast

sexta-feira, agosto 01, 2008

Palitinhos de pão com azeitona, ervas e parmesão

English version

Olive, herb and parmesan sticks

Não tenho participado avidamente de eventos de blogs – nunca consigo me lembrar dos deadlines – mas tenho um carinho imenso por piqueniques e eles são o tema deste “Waiter, there’s something in my...”, organizado pela Johanna, a Jeanne e o Andrew.

Quando meu irmão e eu éramos pequenos, meus pais costumavam nos levar a parques nos finais de semana e fazíamos piqueniques maravilhosos lá (contei um pouquinho disso aqui). Até hoje consigo visualizar a toalha sobre a grama e todas as comidinhas gostosas que minha mãe preparava – ela cozinhava como ninguém.

Depois de sua morte, a minha avó paterna – que tomou conta de nós por uns anos – deixava que eu e meu irmão fizéssemos piqueniques na sala; ela até colocava a toalha sobre o tapete, como minha mãe fazia na grama.

Estes palitinhos de pão deliciosos são a minha contribuição para o evento. Só fiquem longe deles ao saírem do forno – caso contrário, não vai sobrar nenhunzinho para o piquenique.

Olive, herb and parmesan sticks

Palitinhos de pão com azeitona, ervas e parmesão
do Dough: Simple Contemporary Breads

- xícara medidora de 240ml

Massa:
5g de fermento fresco ou 3,5g de fermento biológico seco, o qual usei – sei que as medidas são “chatas”, mas a receita pede ½ pacotinho de fermento seco; o pacotinho deles tem 7g e o nosso, 10g
250g de farinha de trigo para pães
1 colher (chá) de sal
¾ xícara (180ml) de água, em temperatura ambiente

Recheio:
¾ xícara de azeitonas pretas carnudas, com os caroços
1 xícara de queijo parmesão ralado
1 colher (chá) de ervas da Provença
fubá, para polvilhar – não encontrei na despensa, usei farinha de trigo mesmo

Comece com a massa: usando a batedeira e o batedor de gancho*, coloque a farinha e o fermento na tigela e esfregue-os com as pontas dos dedos, esmigalhando o fermento (se usar o seco é só misturar os grânulos à farinha). Ligue a batedeira na velocidade mais baixa possível, junte o sal e a água e misture por 2 minutos. Aumente para a velocidade seguinte (ainda baixa) e misture por mais 6-7 minutos, até a massa ficar elástica e macia. Retire a massa da tigela, transfira-a para uma superfície levemente enfarinhada e forme uma bola. Coloque-a numa tigela polvilhada com um pouquinho de farinha, cubra com plástico/filme PVC e deixe crescer numa área sem correntes de ar por 1 hora.

*se fizer a massa na mão, a técnica do Richard Bertinet está aqui.

Faça o recheio: retire os caroços das azeitonas e corte cada uma em três partes (cortei em pedaços menores). Misture-as ao queijo e às ervas numa tigelinha e reserve.

Monte os palitinhos: com o auxílio de uma espátula de massas ou pão-duro, transfira a massa para uma superfície ligeiramente polvilhada com fubá. Com as mãos, achate a massa formando um retângulo de aproximadamente 2cm de espessura. Polvilhe o recheio sobre a massa e aperte-o com as pontas dos dedos, pressionando-o na massa. Dobre 1/3 da massa em direção ao centro do retângulo e pressione com os dedos. Dobre o lado oposto em direção ao centro também (como se estivesse dobrando uma carta antes de colocá-la num envelope). Pressione com as palmas das mãos para que as azeitonas se misturem à massa. Com o lado achatado da espátula ou um cortador de pizza, corte 10-12 tiras de massa de cerca de 1cm de largura.
Polvilhe a bancada com fubá. Torça cada tirinha de massa (dei uma apertadinha nas laterais para que o recheio não escapasse) e enrole-os levemente na bancada para que estiquem e fiquem do tamanho da sua assadeira (antiaderente ou forrada com papel alumínio para que o queijo derretido não grude). Transfira as tirinhas para a forma, deixando 2,5cm entre elas. Cubra com um pano de prato limpo e seco e deixe crescer por 30-45 minutos.

Pré-aqueça o forno a 220ºC; coloque a assadeira no forno e borrife o interior dele com água. Asse os palitinhos de pão por 10-12 minutos ou até eu dourem.
Retire-os da assadeira com uma espátula e deixe esfriar sobre uma gradinha.

Rend.: 10-12 unidades – consegui 16

Olive, herb and parmesan sticks

Related Posts with Thumbnails