quarta-feira, maio 30, 2007

Torta de brócolis, queijo e alecrim

English version

Broccolini, cheese and rosemary tart

Amo massa folhada. Tenho que admitir. Sei que não é nada light nem saudável e péssima para a minha cintura, mas é uma delícia.
Nunca compro massa folhada exatamente porque não sou o tipo de mocinha moderada que sabe quando parar de comer; a não ser que esteja em uma festa ou almoçando com os chefes – são nesses momentos em que eu finjo ser aquele tipo de mocinha. :)

Havia sobrado um pouco de massa folhada desta receita e como não gosto de desperdiçar comida – mesmo quando engorda feito o cão – usei para fazer um almocinho rápido. Foi muito bom pois eu precisava voltar para a cozinha logo e terminar o gateau.

Usei uma idéia deste livro – era uma torta de batata, queijo de cabra e alecrim. Minha torta tinha o queijo e os brócolis que haviam sobrado da pizza de sábado.

aaWeekendHerbBlogging

Gostei tanto da tortinha que decidi que a usaria para o Weekend Herb Blogging, desta vez hosted pela Kalyn, a criadora deste evento tão bacana.

Torta de brócolis, queijo e alecrim
adaptada do Modern Classics Book 1

- xícara medidora de 240ml

1 xícara de mussarela ralada no ralo grosso
½ xícara de parmesão ralado
2 xícaras cheias de floretes de brócolis
1 colher (sopa) de alecrim
massa folhada
sal
pimenta do reino moída na hora

Pré-aqueça o forno a 205ºC.
Corte os floretes de brócolis em pedaços não muito pequenos e ferva-os ou cozinhe-os rapidamente no vapor – prefiro o último porque os floretes ficam firmes e bem verdinhos. Deixe esfriar.
Misture os dois queijos numa tigelinha.
Corte um retângulo de 25x20cm de massa folhada e coloque-o sobre uma assadeira de beiradas baixas forrada com papel manteiga. Espalhe os floretes de brócolis sobre a massa, deixando uma beirada de aproximadamente 2,5cm. Tempere com sal e pimenta.
Espalhe o queijo sobre os brócolis e polvilhe tudo com o alecrim.
Asse por 20-25 minutos ou até que folhe e fique dourada.
Sirva com um fiozinho de azeite de olive extra virgem.

Rend.: acho que pode ser suficiente para 2 pessoas desde que servido com algo mais. Comi ¾ da torta e mais nada. O João não queria torta mas quando me viu comendo ficou pedindo um pedacinho, depois outro... E ele estava almoçando espaguete.

domingo, maio 27, 2007

Gateau Saint Honore

English version

Gateau Saint Honore

Comi um pedaço deste bolo enquanto escrevia o post em inglês. Achei que estava bom, mas não posso dizer que tenha sido uma das minhas sobremesas favoritas.
Adoro massa folhada e até usei o restinho que havia sobrado para preparar o almoço. O creme Saint Honore é tão delicioso que achei que não sobraria o suficiente para montar o bolo – toda hora eu pegava uma colher na gaveta e mergulhava no creme, jurando que aquela seria a última vez que faria aquilo. Caramelo é caramelo – a palavra dá água na boca. Profiteroles são um clássico – todo mundo adora, até o meu não-chegado-a-doce marido. Então, o que há de errado?

Na minha humilde opinião, todas essas gostosuras são fantásticas mas não combinam entre si – sei que isso parece loucura pois este bolo é super conceituado na confeitaria mundial e tudo o mais, mas para mim não foi isso tudo.

Fiquei contente pois foi a primeira vez que tentei fazer profiteroles – na verdade, o João ficou bem mais feliz com isso do que eu. :)
Ainda tenho tanto a aprender e agradeço às duas mocinhas por trás disso por criarem a oportunidade de que eu precisava para tentar a receita.

Tenho certeza de que as outras Daring Bakers têm bolos e pontos de vista muito interessantes para compartilhar – você encontra os links na barra ao lado.

Já que usei massa folhada pronta não vou postar a receita aqui; postarei todo o restante do bolo, entretanto.Ah, e vamos ignorar o fato de que as minhas decorações de caramelo ficaram feinhas.

UPDATE: a Brilynn, uma fofa e querida Daring Baker, deu a dica de congelar o creme caso sobre. Ela disse que para usar é só descongelar normalmente e que também fica uma delícia para ser consumido como sorvete - o meu restinho está no freezer. ;)

Gateau Saint Honore

- xícara medidora de 240ml

Pate a Choux – Massa para profiteroles:
135g de farinha de trigo
240ml (1 xícara) de água
58g de manteiga sem sal
¼ colher (chá) de sal
240ml (1 xícara) de ovos

Peneire a farinha e reserve. Aqueça a água, a manteiga e o sal e deixe ferver, de modo que a mistura fique borbulhando – assim a manteiga se espalhará e não ficará apenas na superfície da água.
Despeje a farinha e vá mexendo depressa com uma colher de pau, tomando cuidado para não empelotar. Caso empelote, aperte as bolinhas contra a parede da panela usando a colher.
Cozinhe mexendo sem parar até que a massa se desprenda da panela – 2 a 3 minutos. Transfira a mistura para a tigela de uma batedeira e deixe esfriar.
Junte os ovos, um a um, batendo bem em velocidade baixa ou média. Não adicione todos os ovos de uma vez. Vá adicionando, batendo bem e checando a consistência da mistura – deve ficar parecendo uma maionese grossa – acabei usando 4 ovos de um total de 5.
Coloque a massa num saco de confeitar.

Creme Saint Honore (Chiboust Rápido ou Creme Diplomata) :
7g de gelatina sem sabor incolor
60ml (¼ xícara) de água fria
130g - ½xícara + 2 colheres (sopa) – de açúcar
70g (½ xícara) de farinha de trigo
¼ colher (chá) de sal
5 gemas
480ml (2 xícaras) de leite integral
1 colher (sopa) de rum – usei baunilha
60ml (¼ xícara) de creme de leite fresco
3 claras
1 pitadinha de sal
100g (½ xícara) de açúcar

Misture a gelatina e a água e reserve.
Coloque o açúcar (os 130g), a farinha e o sal em uma panela e misture com um fuê. Adicione as gemas e um pouquinho de leite e misture até obter uma pasta. Junte o restante do leite e misture bem.
Leve ao fogo baixo mexendo constantemente até engrossar – use o fuê e assim você vai obter um creme liso, sem o risco de empelotar.
Retire do fogo e junte a gelatina e a baunilha, misturando bem até incorporar tudo. Acrescente o creme de leite e misture. Coloque a panela dentro de uma tigela com água e vá mexendo o creme até esfriar.
Coloque as claras e o sal em uma tigela de batedeira e bata até formar picos firmes. Gradualmente, adicione o açúcar (os 100g) e bata até que fique bem firme.
Misture as claras batidas ao creme já frio.

Caramelo:
240g de açúcar

Decoração:
240ml (1 xícara) de creme de leite fresco
1 colher (chá) de açúcar – usei 1 colher (sopa)

Montagem do bolo:
Abra a massa folhada em uma espessura de 3mm e corte um quadrado de 30cm - comprei massa folhada laminada que já vem aberta na espessura correta e enrolada num plástico, como uma massa de pastel.
Coloque-o numa assadeira de beiradas baixas forrada com papel manteiga. Leve à geladeira por pelo menos 20 minutos. Enquanto isso, prepare a massa dos profiteroles e coloque-a num saco de confeitar com bico #4 (8mm). Reserve.
Pré-aqueça o forno a 205ºC.
Ainda com a massa folhada na assadeira, corte um círculo de 27,5cm e remova as rebarbas. Fure toda a massa com um garfo. Faça 4 círculos com a massa de profiteroles sobre a massa folhada, começando pela beirada – como meu bolo era menor, fiz apenas 2 círculos.
Ao redor da massa, aproveitando o espaço na assadeira, faça 12 profiteroles do tamanho de cerejas frescas grandes.
Leve tudo ao forno e asse por 10 minutos. Reduza a temperatura para 190ºC e asse por mais 35 minutos para o círculo e 8 minutos para os profiteroles (precisei assar por mais tempo).
Conforme comecem a ficar prontos, vá retirando os profiteroles do forno.
Coloque cerca de 115g do creme Saint Honore num saco de confeitar com um bico #2 (4mm) e use-o para rechear os profiteroles, colocando o bico na base de cada um deles e enchendo-os com o creme. Leve à geladeira.
Use o restante do creme para rechear o bolo e leve à geladeira por pelo menos 2 horas para firmar.
Caramelize os 240g de açúcar. Com cuidado para não queimar os dedos banhe a parte superior de cada profiterole no caramelo, colocando-os sobre papel manteiga. Caso o caramelo comece a escurecer mergulhe a panela numa tigela com água fria para interromper o cozimento.
Arrume os profiteroles ao redor da beirada do bolo – você pode prendê-las com chantilly (último passo da receita) ou usar caramelo para “colá-las” – foi o que fiz pois julguei que ficariam mais firmes. Só tome cuidado para não deixar cair creme no caramelo ou irá cristalizar.

Bata o creme de leite fresco com o açúcar até atingir picos firmes. Coloque num saco de confeitar com o bico de estrela #5 (10mm). Faça estrelas de chantilly entre os profiteroles.
Decore com arabescos de caramelo por cima do creme.

quarta-feira, maio 23, 2007

Risoto de tomate, brócolis e manjericão

English version

Tomato, broccolini and basil risotto

Folheando uma das edições da revista Donna Hay vi um prato de massa delicioso* – na hora pensei em fazê-lo para o almoço de domingo. O tempinho meio frio me fez mudar de opinião – decidi preparar um risoto.

aaWeekendHerbBlogging

Tinha visto uma receitinha de risoto de tomates assados que parecia ótima – mas os tomates de casa estavam tão bonitos e suculentos que eu não quis assá-los. Resolvi fazer o risoto do meu jeito, usando até mesmo vinho tinto ao invés de branco. E ficou muito gostoso.

Adicionei também uns floretes de brócolis que tinham sobrado da pizza no dia anterior – a melhor parte é não precisar cozinhá-los previamente, eles vão cozinhando junto com o arroz.

O risoto ficou bacana e por isso esta é a minha contribuição para o Weekend Herb Blogging, esta semana hosted pela doce Ellie do blog Kitchen Wench.

Risoto de tomate, brócolis e manjericão

1 litro de caldo de legumes – use um suave caso contrário o sabor do risoto ficará comprometido
1 colher (sopa) de manteiga
½ colher (sopa) de azeite de oliva
½ cebola pequena, bem picadinha
115g (½ xícara cheia) de arroz para risoto – usei carnaroli
1 ½ colheres (sopa) de vinho tinto seco
½ xícara cheia de floretes de brócolis, cortados em pedaços pequenos
1 tomate, maduro porém firme, picado
1 colher (sopa) de manteiga gelada – extra
¼ xícara de manjericão – meça sem apertar as folhas dentro do medidor
50g (½ xícara) de parmesão ralado – reserve 1 colher (sopa)
pimenta do reino moída na hora

Aqueça o caldo de legumes e mantenha-o em fogo baixo.Derreta a manteiga em fogo médio, usando uma panela grande, de fundo grosso. Junte a cebola e refogue até que fique transparente. Acrescente o arroz e mexa por 1 minuto ou até que os grãos fiquem brilhantes e revestidos pela manteiga/azeite. Junte o vinho, mexa bem até que seja absorvido e então adicione 1 concha de caldo e mexa até que ele seja absorvido. Adicione os floretes de brócolis e continue a adicionar o caldo, 1 concha por vez, mexendo sem parar até que cada porção de caldo seja absorvida.
Antes de acrescentar a última concha de caldo – o arroz vai estar quase al dente – junte os tomates e continue o processo normalmente.
Quando o arroz estiver al dente, junte a manteiga gelada, o manjericão e o parmesão e misture. Tempere com a pimenta e verifique se é necessária a adição de sal.
Coloque o risoto em pratos aquecidos, salpique com o queijo reservado e mais um tantinho de pimenta se desejar.

Rend.: 2 porções para pessoas frugais ou 1 porção para alguém como eu. :)

* A Joey postou a exata receita que eu ia fazer no domingo – uma deliciosa coincidência!

terça-feira, maio 22, 2007

Muffins de banana e avelãs

English version

Banana hazelnut muffins

Procurando por um jeito novo de usar as minhas pra-lá-de-maduras bananas encontrei uma receita de muffins de banana com nozes – me pareceram deliciosos!
Não tinha nozes em casa e resolvi usar avelãs - achei que seria uma mudança interessante numa receita que já me parecia excelente.

Fiz os muffins e eles ficaram ótimos – fiquei impressionada com a maciez deles, mesmo no dia seguinte. Imediatamente pensei em publicá-los aqui mas antes enviei um email à Saffron, dona do blog onde eu tinha encontrado a receita, perguntando se ela se importaria com isso.

*** pausa para esclarecer algo ****

Comecei o blog há quase um ano e até o momento já postei inúmeras receitas de foodies que admiro – graças aos céus ainda não tive nenhum problema com isso.
Há uma certa regra que sigo: se a pessoa é alguém próximo sei que ela não se importará. Muito pelo contrário – sei que algumas pessoas até gostam!
Eu adoro – toda vez que alguém faz uma receita que postei aqui fico super contente e comento com quem estiver por perto – até mesmo com o computador. :)

Dependendo do caso, mando um email à pessoa para informá-la do post ou mesmo para pedir a autorização para postar.

**** fim da pausa ****

Ela me respondeu com um email tão doce que tive certeza de que seria mais uma foodie a admirar.

A única coisa que eu faria diferente seria diminuir um pouco a quantidade de açúcar – ficou um pouco doce talvez porque as bananas que usei estavam realmente maduras.

Saffron, obrigada por compartilhar conosco uma receita tão deliciosa!

Muffins de banana e avelãs

- xícara medidora de 240ml

4 bananas maduras*
150g (¾ xícara) de açúcar
75g (1/3 xícara) de manteiga sem sal, derretida e fria
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de sal
210g (1 ½ xícaras) de farinha de trigo
um punhado pequeno de avelãs tostadas e sem a pele

Pré-aqueça o forno a 190ºC e prepare forminhas de muffin com forminhas de papel.
Peneire a farinha, o bicarbonato, o fermento e o sal em uma tigela e misture bem. Reserve.
Pique as avelãs e reserve 1 colher (sopa) para polvilhar os muffins – reserve 1 ½ colheres (sopa).
Coloque as bananas em uma tigela grande e amasse bem. Adicione o açúcar e a manteiga. Misture.
Junte os ingredientes secos a esta mistura e acrescente as avelãs – misture rapidamente. Não mexa demais.
Encha cada forminha de muffin até ¾ de sua capacidade e polvilhe a massa com as avelãs reservadas.
Asse por 20 minutos ou até que os muffins estejam dourados.

* você pode usar 3 bananas e 1 ovo. Eu os fiz como a receita original e acho que ficaram bons sem o ovo.

Rend.: 12 muffins grandes – consegui 14

domingo, maio 20, 2007

Docinho de milho verde

English version

Corn fudge

Estou atrasada para o “Rei da Quinzena” – fiz mil planos culinários para esta semana mas não deram certo...

rei-milho.GIF

Precisei ficar até mais tarde no trabalho alguns dias e então deixei para fazer minha receitinha na quinta-feira. Só que saindo do elevador na garagem do prédio onde moro levei o maior tombão! Maldita hora em que resolveram encerar a ardósia!
Bati o joelho no chão - que virou uma bola enorme e roxa – e na tentativa de evitar a queda machuquei o braço direito também. Não teria como fazer estes docinhos – dirigir para o trabalho foi um horror. Uma profusão de “ais” e “uis” a cada mudança de marcha.

Tina, querida, perdoe esta amiga contundida e que se atrasou para o Colher, please! :)

Docinho de milho verde
adaptei daqui

1 lata de milho verde
1 lata de Leite Moça
cerca de 1 ½ colheres (sopa) de leite – usei semi-desnatado
2 colheres (sopa) de manteiga
½ colher (chá) de canela em pó
manteiga , para untar
açúcar cristal , para passar os docinhos

Escorra a água do milho verde, bata-o no liqüidificador com o leite e passe o creme obtido por uma peneira. Leve ao fogo baixo o Leite Moça, o milho peneirado, a manteiga e a canela. Vá mexendo sempre até desgrudar do fundo da panela (aproximadamente 20 minutos). Despeje a massa em um prato untado com manteiga, e depois de frio, enrole os docinhos e passe por açúcar cristal – se você deixar na geladeira vai conseguir enrolar mais facilmente. Coloque-os em forminhas de papel.
Decore a gosto: usei grãos de milho (como havia visto no site da Nestlé) e cravos-da-Índia (pois achei que combinaria com o sabor do docinho).

Rend.: 40-45 unidades

Corn fudge

quinta-feira, maio 17, 2007

Grão-de-bico ao alho com peixe ao cominho

English version

Garlic chickpeas with cumin fried fish

Essa comidinha me lembra a minha querida amiga – ela tem paixão por grão-de-bico e tenho certeza de que adoraria este prato.

aaWeekendHerbBlogging

Não há muito mais a dizer sobre as receitas da Donna Hay – os pratos têm uma aparência ótima, são deliciosos e não são complicados de fazer. O sucesso dela é realmente merecido, em minha humilde opinião.

Que maneira mais deliciosa de consumir grão-de-bico – este acompanhamento é perfeito para o peixe, que foi inacreditavelmente fácil de preparar e ficou muito saboroso, mesmo eu tendo omitido a pimenta.

Esta é a minha contribuição para o Weekend Herb Blogging – sempre esqueço de contar a vocês que este evento bacana foi criado pela adorável Kalyn – desta vez hosted por Rinku do blog Cooking in Westchester.

Grão-de-bico ao alho com peixe ao cominho
adaptei do Off The Shelf: Cooking From the Pantry

3 colheres (sopa) de azeite de oliva
3 alhos-porós em tirinhas
1 colher (sopa) de raspas de casca de limão siciliano, bem picadinhas – usei limão verdinho
3 dentes de alhos fatiados
2 latas de 400g (cada) de grão-de-bico, escorrido e enxaguado
¼ xícara de salsinha picada
sal
pimenta do reino moída na hora

Peixe ao cominho:
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1 colher (sopa) de cominho em pó
1 pimenta dedo de moça pequenina, sem sementes e picadinha – não tinha em casa
4 filés de 200g (cada) de peixe de carne branca e firme, cortados em pedaços – usei pescada branca
sal

Aqueça uma frigideira em fogo médio; acrescente o azeite, o alho-poró e as raspas de limão e refogue, mexendo ocasionalmente por uns 8 minutos ou até que o alho-poró fique dourado e levemente crocante. Adicione o alho e cozinhe por 1 minuto. Junte o grão-de-bico e cozinhe por 5 minutos ou até que esteja tudo quentinho. Adicione a salsinha e o sal e misture bem.

Para fazer o peixe, aqueça uma frigideira em fogo médio, junte a manteiga, o azeite o cominho e a pimenta e refogue por 3 minutos. Arrume os filés de peixe na panela e cozinhe por 2-3 minutos de cada lado ou até que esteja cozido por dentro.

Coloque o grão-de-bico em pratos, arrume o peixe ao lado e sirva com fatias de limão.

Rend.: 4 porções

terça-feira, maio 15, 2007

Muffins com suspiro de limão

English version

Lime meringue muffins

Algumas de vocês sabem que tenho uma irmãzinha de 13 anos que é a menina dos meus olhos.
Escolhi seu nome e tomei conta dela desde bem bebezinha – dava banho, papinha, mamadeira, trocava fralda...
Nós fazíamos tudo juntas e eu a levava comigo a todos os lugares. Toda vez que íamos ao mercado a mocinha do caixa perguntava se ela era minha filha – e eu ficava toda orgulhosa, mesmo sabendo que nós duas não nos parecíamos em absolutamente nada fisicamente. :D

Descobri há pouco tempo que ela também gosta de inventar moda na cozinha e que faz bolos de vez em quando.
Passamos uma tarde juntas na minha semaninha de folga e ela queria me ajudar a preparar algo gostoso para tomarmos um café da tarde. Mostrei a ela meus livros de receitas – os que são cheios de fotos – e disse a ela para escolher o que quisesse.
Acabei ajudando com a tradução de algumas coisas (ela sabe um pouquinho de inglês) e ela se decidiu por estes muffins, dizendo que os preferia aos muffins de chocolate.

Fiquei sorrindo feito boba de ver que ela compartilha comigo não só a minha paixão por cozinha como também por sabores cítricos – alegria imensa para esta irmã coruja que vos escreve. :)

Muffins com suspiro de limão
adaptados do Sweet Food

- xícara medidora de 240ml

245g (1 ¾ xícaras) de farinha de trigo com fermento
80g- ¼ xícara + 3 colheres (sopa) - de açúcar
1 ovo
1 gema
160ml (2/3 xícara) de leite
½ colher (chá) de baunilha
75g (1/3 xícara) de manteiga sem sal derretida e fria
raspas da casca de 1 limão*

Cobertura:
2 claras
50g (¼ xícara) de açúcar
raspas de casca de 1 limão
1 colher (sopa) de açúcar - extra

Pré-aqueça o forno a 200ºC. Unte generosamente 12 forminhas de muffin com manteiga.
Peneire a farinha numa tigela grande e junte o açúcar. Faça um buraco no centro.
Numa tigelinha, coloque o sal, o ovo e a gema e misture bem. Acrescente o leite, a baunilha e a manteiga e mexa. Despeje os ingredientes líquidos na tigela com os ingredientes secos e misture rapidamente com um garfo - cuidado para não mexer demais.
Coloque a massa nas forminhas e asse por 15 minutos – o livro diz que os muffins cresceriam pouco – os nossos cresceram bastante! :)
Enquanto isso, faça o suspiro: bata as claras em neve em picos firmes. Acrescente o açúcar e as raspas de limão e bata bem.
Retire os muffins do forno e deixe-o ligado. Espere 10 minutos e, com cuidado, solte cada muffin da assadeira, sem tirá-los do lugar.
Espalhe uma colherada cheia de suspiro em cima de cada muffin e polvilhe com um pouquinho de açúcar. Leve ao forno novamente por 5 minutos ou até que o merengue doure.
Retire do forno e deixe esfriar por 5-8 minutos antes de removê-los da assadeira.
Sirva morninhos ou em temperatura ambiente.

* da próxima vez adicionarei suco de limão também

Rende: 12 muffins – eu e a Jéssica conseguimos 10.

Esse é o muffin cachorrinho:

Lime meringue muffins

segunda-feira, maio 14, 2007

Frango com alecrim e limão

English version

Chicken with rosemary and lime

Geralmente faço dois pratos diferentes nos almoços de domingo: um prato à base de carne para o João e uma massa ou salada para mim. A Luna uma vez escreveu nos comentários que eu era “guerreira” por fazer uma comida pra mim e outra pra ele... :)

A idéia de fazer frango foi do marido e então tratei de pesquisar uma receita que fosse saborosa e que agradasse ao paladar de ambos.
Uma receitinha simples, adaptada daqui, que pede poucos ingredientes e ficou ótima servida com arroz branco e salada.
Se você, como eu, adora frango mas não suporta aqueles filés branquelos que parecem isopor, vai gostar desta versão!

Frango com alecrim e limão

*xícara medidora de 240ml

1 frango (1,8kg) em pedaços e com pele – usei coxas e sobrecoxas
2 colheres (sopa) de óleo
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de alecrim fresco
3 dentes de alho picados
sal
pimenta do reino moída na hora
80ml (1/3 xícara) de vinho branco seco
2 colheres (sopa) de suco de limão
raspas da casca de 1 limão

Lave o frango e enxugue bem com papel toalha.
Em uma panela grande, em fogo médio, aqueça o óleo e a manteiga. Acomode os pedaços de frango sem que fiquem sobrepostos. Doure bem de um lado e polvilhe com sal e pimenta. Vire os pedaços e doure do outro lado também.
Polvilhe com sal e pimenta, adicione o alecrim, o alho e o vinho. Cozinhe até amaciar – se o líquido secar (não aconteceu comigo), junte um pouquinho de água.
Quando estiver cozido por dentro, acrescente o suco e a raspas de limão. Deixe apurar por 1 minuto e sirva em seguida.

Rend.: 4 porções

terça-feira, maio 08, 2007

Pãezinhos brioches de doce de leite

English version

Dulce de leche brioche rolls

No minuto em que vi os pães maravilhosos da Helene eu soube que os prepararia – meu pai é completamente louco por doce de leite!
Então convidei meu pai, meu irmão e minha irmã para jantar na minha casa. Fiz o pão e coloquei-o na mesa de jantar, enquanto preparava a pizza na cozinha. Vocês tinham que ter visto a cara do papito quando ele chegou e viu o pão... Ele já foi perguntando o que era e respondi que eram pãezinhos recheados de doce de leite, feitos especialmente para ele – que adorou!
Quem também adorou foi minha irmãzinha... Logo a vi cochichando com meu pai e perguntei o que estava acontecendo. Ele me disse que ela perguntava se podia pegar uns pãezinhos também. :)
Depois ela me contou que os havia levado de lanche para a escola e que dividiu com uma amiguinha que havia pedido um pedaço. :)

Helene, a receita é absolutamente divina! A massa amanteigada é super macia e o recheio a complementa perfeitamente. Obrigada por compartilhar conosco!

Pãezinhos brioches de doce de leite

* xícara medidora de 240ml

Massa:
80ml (1/3 xícara) de água morna
80ml (1/3 xícara) de leite morno
14g - 5 colheres (chá) – de fermento biológico seco
525g (3 ¾ xícaras) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de sal
3 ovos grandes
50g (¼ xícara) de açúcar
340g (1 ½ xícaras) de manteiga sem sal, em pedaços e em temperatura ambiente

Recheio:
aprox. 300g (1 xícara) de doce de leite em temperatura ambiente

Para pincelar o pão:
1 ovo, batido com 1 colher (sopa) de água

Coloque o leite, a água e o fermento em uma tigela de batedeira e mexa para dissolver o fermento. Caso tenha uma Kitchen Aid ou uma batedeira do gênero, coloque o batedor em forma de gancho – eu não tenho então usei os batedores em forma de espiral da batedeira comum.
Coloque a farinha e o sal na tigela e bata em velocidade baixa até misturar os ingredientes e umedecer a farinha, 10 segundos. Raspe as laterais da tigela.
Continue batendo em velocidade baixa e junte os ovos e o açúcar. Aumente para a velocidade média e bata até a massa se tornar uniforme, uns 3 minutos. Reduza para vel. baixa e adicione a manteiga, um pedaço de cada vez, batendo até que se incorpore à massa antes de adicionar outro pedaço. A massa ficará macia, parecendo massa de bolo. Aumente para a velocidade média-alta e bata até que a massa desgrude das laterais da tigela, uns 7 minutos.
Cubra a tigela com plástico e deixe crescer até que dobre de volume, mais ou menos 1 hora. Levante a massa pelas beiradas e deixe-a “abaixar” na tigela.
Cubra a tigela novamente com plástico e leve à geladeira até que a massa pare de crescer, levantando-a pelas beiradas como no início, a cada 30 minutos, perfazendo um total de 2 horas. Cubra a tigela e deixe na geladeira por 1 hora.
Retire a massa da geladeira e divida em duas partes iguais*.

Abra uma metade de massa num retângulo de 35x22cm. Espalhe o doce de leite sobre a massa, deixando uma beiradinha de 2,5cm sem recheio. Enrole feito rocambole e corte em 12 fatias. Coloque-as umas ao lado das outras em uma forma redonda de 22,5cm, untada com manteiga, cubra e deixe na geladeira até a manhã seguinte. A massa vai crescer lentamente durante a noite.
Pincele os pãezinhos com o ovo batido com água e asse em forno pré-aquecido a 175ºC por 20-25 minutos.

Você pode repetir o processo com a outra metade da massa ou fazer um filão de brioche como a Helene fez.

* fiz metade da receita, usei uma forma de 25cm e deixei a massa crescer por 1 hora antes de assar (não daria para deixar de um dia para o outro). Cresceu bastante.

quarta-feira, maio 02, 2007

Macarrão com atum e alcachofra

English version

photo by Terry B

Em janeiro meu amigo Terry fez uma receitinha que eu havia enviado para ele: arroz e feijão do jeitinho brasileiro. Depois disso, achei que seria bacana se ele também me enviasse uma receitinha para eu postar aqui no TK, junto com o texto espirituoso e as ótimas fotos dele.

Se você quiser ler o texto dele (em inglês), clique aqui.

Terry deixou bem clara a importância de se usar um bom atum e que fosse conservado em azeite de oliva. Ele mandou uma foto do atum que ele usa lá, importado da Itália:
photo by Terry B
Ele também me conta no texto que esse tipo de molho que não é cozido é chamado de salsa cruda na Itália.
Vamos à receita:

Macarrão com atum e alcachofra

* xícara medidora de 240ml

2 latas de atum (170g cada) de boa qualidade, conservado em azeite de oliva
1 lata/vidro (170g) de corações de alcachofra, escorridos e cortados em pedaços médios
¼ xícara de alcaparras, escorridas – usei umas conservadas em sal e deixei de molho em água fria por alguns minutos antes de usá-las
suco e raspas da casca de 1 limão siciliano
1 dente de alho grande amassado
½ xícara de salsinha picada
sal e pimenta do reino moída na hora
340g de macarrão – massa curta da sua preferência. O formato de concha vai “agarrar” melhor os ingredientes do molho

Cozinhe o macarrão normalmente.
Enquanto isso, misture todos os ingredientes da salsa cruda em uma tigela grande o suficiente para acomodar também o macarrão. Ao acrescentar o atum, coloque também o azeite em que ele está conservado – com a ajuda de um garfo, parta o atum em pedaços.

Escorra o macarrão e junte ao molho. Misture bem e sirva em seguida.

Minhas considerações sobre a receita: que delícia!!! O João comeu um pratão e disse várias vezes que estava muito gostoso – coisa que eu não esperava. Achei que ele nem fosse querer experimentar.
Eu repeti – algo que não deveria ter acontecido. :D

Fiz algumas modificações na receita do Terry:
- Não encontrei atum italiano, mas comprei um espanhol conservado em azeite de oliva extra virgem, bem parecido com o da foto acima. E era delicioso;
- Amo alcaparras e adicionei um pouco mais do que a receita pedia;
- Sou presidente do fã-clube do manjericão, por isso adicionei um punhado de folhinhas ao molho, antes de adicionar o macarrão.

Minha versão da receita:

Pasta shells with Italian tuna and artichokes

Terry, adorei este post! Espero que possamos fazer isso mais vezes!

Related Posts with Thumbnails