Sunday, August 16, 2015

Bolo de laranja e Marsala

English version

Orange Marsala pound cake / Bolo de laranja e Marsala

Muitos e muitos anos atrás, sem pensar muito ou fazer planos, comecei a assar um bolo todos os finais de semana, e isso então se tornou uma tradição aqui em casa: se eu não vejo um bolo esfriando sobre a gradinha no sábado parece que não é final de semana.

Às vezes demoro para escolher qual bolo preparar, ou porque tenho ideias demais, ou porque não tenho nenhuma. :) Semanas atrás, enquanto fazia o almoço, derramei um pouco de Marsala sobre o brócolis que eu estava refogando e imediatamente pensei em usar o vinho em um bolo. Depois que terminamos de comer encontrei uma laranja dando sopa na geladeira e aí o sabor do bolo foi decidido – inspiração que vem de todos os lugares, adoro isso.

Este bolo é úmido, gostoso e perfumado, um bolo que fiz uma vez com uísque e noz-moscada e que ficou ainda mais incrível com um toque cítrico e de Marsala.

E vocês, gostam de fazer bolo aos finais de semana? Qual é o sabor favorito?

Bolo de laranja e Marsala
um nadinha adaptado do delicioso Pure Dessert: True Flavors, Inspiring Ingredients, and Simple Recipes

2 colheres (sopa) de leite integral, temperatura ambiente
2 colheres (sopa) de Marsala
3 ovos grandes, temperatura ambiente
1 colher (chá) de extrato de baunilha
raspas da casca de 1 laranja grande
150g de açúcar cristal
105g de farinha para bolos (caseira: 15g de amido de milho + 90g de farinha de trigo comum)
55g de farinha de trigo integral
¾ colher (chá) de fermento em pó
1/8 colher (chá) de sal
180g de manteiga sem sal, amolecida e em pedacinhos

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma de bolo inglês com capacidade para 4 ou 5 xícaras de massa, forre-a com papel e unte o papel também.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame o leite, o Marsala, os ovos e a baunilha.
Na tigela da batedeira, misture o açúcar e as raspas de laranja com as pontas dos dedos até o açúcar ficar aromatizado. Acrescente as farinhas, o fermento e o sal e misture com um batedor de arame. Junte a manteiga e metade da mistura de ovos e bata em velocidade baixa apenas até os ingredientes secos umedecerem. Aumente para a velocidade média e bata por 1 minuto. Raspe as laterais e o fundo da tigela. Adicione metade da mistura de ovos restante e bata por 20 segundos. Junte o restante da mistura e bata por mais 20 segundos. Raspe as laterais e o fundo da tigela.
Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície. Asse até que o bolo cresça e doure, 55-60 minutos (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma por 20 minutos, desenforme com cuidado segurando pelo papel e transfira para uma gradinha. Deixe esfriar completamente e remova o papel.

Rend.: 8-10 porções

Wednesday, August 12, 2015

Waffles para dias corridos

English version

Waffles

Meus dias tem sido bem puxados, muita coisa para aprender em pouquíssimo tempo – não tenho cozinhado quase nada e nem lembro mais quando fiz alguma coisa de baking (fiz mousse de chocolate para o almoço de domingo passado, vá lá). :) A louca rotina não deve durar eternamente, e enquanto dura vou tentar não deixar interferir com os posts aqui no blog, mas não vou prometer – espero que vocês que me leem há tanto tempo continuem por aqui e não abandonem o barco. :)

Fiz estes waffles umas semanas atrás para acompanhar um episódio de “Hannibal” (eu sou louca o suficiente para comer enquanto assiste ao seriado) depois de ver a Ana falando maravilhas deles no FB do blog dela, e eles ficaram realmente excelentes: crocantes por fora, macios por dentro, perfumados de baunilha, estes waffles são deliciosos e a boa notícia é que a massa é facílima de fazer e pode ser guardada na geladeira de um dia para o outro em um recipiente hermético – se vocês andam correndo feito eu, esta receita vai ficar permanentemente pendurada na porta da geladeira, tenho certeza.

Waffles
do lindo Falling Cloudberries: A World of Family Recipes

- xícara medidora de 240ml

2 ovos, claras e gemas separadas
1 pitada de sal
1/3 xícara (67g) de açúcar cristal
½ colher (chá) de extrato de baunilha
4 ½ colheres (sopa) - 63g - de manteiga sem sal, derretida e fria
1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
½ colher (chá) de fermento em pó
¾ xícara (180ml) de leite integral, temperatura ambiente

Em uma tigelinha, bata as claras e o sal até que elas fiquem fofinhas e formem picos suaves. Reserve.
Em uma tigela grande, misture as gemas, o açúcar e a baunilha com um batedor de arame até obter um creme espesso, como uma gemada. Junte a manteiga, misture, e então incorpore a farinha e o fermento (a massa ficará espessa). Acrescente o leite, misture, e então incorpore as claras em neve misturando gentilmente, de baixo para cima.

Aqueça a máquina de waffle. Adicione cerca de 1/3 xícara de massa por waffle, feche e cozinhe seguindo as instruções do fabricante, até que os waffles fiquem dourados. Sirva imediatamente.

Rend.: cerca de 6 waffles

Saturday, August 08, 2015

Barrinhas Garibaldi

English version

Garibaldi slice / Barrinhas Garibaldi

A primeira vez que ouvi falar de biscoitos Garibaldi foi há muitos anos, no blog da minha querida amiga Valentina – eu não era muito fã de passas na época, até achei os biscoitos interessantes, mas não considerei a ideia de prepará-los.

Durante os anos fui aprendendo a gostar de passas (me toquei de que nem todas eram as pedrinhas secas e esturricadas que eu conhecera na infância), provei passas de corinto pela primeira vez comendo scones em Londres (com montanhas de clotted cream – só de pensar fico com a boca cheia d’água) e agora adoro usar passas em cookies (estes são os meus favoritos com elas) e até em pães.

Quando vi estas barrinhas Garibaldi em um dos livros de receita mais lindos que tenho não pude resistir: a receita pedia passas claras, escuras e de corinto e elas eram cozidas em xerez para o recheio das barrinhas – eu tinha de fazê-las! As barrinhas ficaram uma delícia e são uma tentação para quem gosta destas frutas secas.

Off topic: enquanto procurava o link do livro na Amazon vi que eles escalaram Diego Luna para ser Casanova – nunca vi uma seleção de elenco tão errada na vida.

Barrinhas Garibaldi
do lindíssimo The Baking Collection (The Australian Women's Weekly)

Massa:
300g de farinha de trigo
75g de açúcar cristal
180g de manteiga sem sal, gelada e em cubinhos
2 gemas
1 colher (sopa) de água gelada

Recheio:
240g de passas de corinto
80g de passas claras
75g de passas escuras
½ xícara (120ml) de água
2 colheres (sopa)s de xerez seco (ou conhaque)
1 ovo, levemente batido com um garfo, para pincelar a massa
2 colheres (sopa) de açúcar cristal, para polvilhar sobre a massa

Massa: coloque a farinha, o açúcar e o sal no processador de alimentos e pulse para misturar. Junte a manteiga e pulse até que a mistura pareça uma farofa grossa. Junte as gemas, a baunilha e a água e pulse até que uma massa comece a se formar. Forme uma bola com a massa, divida ao meio e embrulhe cada parte em filme plástico. Leve à geladeira por 1 hora.

Recheio: em uma panela média, misture as frutas secas, a água e o xerez. Leve ao fogo baixo por 8-10 minutos, mexendo, até que o líquido seja absorvido e as frutas estejam macias. Transfira para o processador de alimentos e processe até obter uma mistura cremosa. Deixe esfriar completamente.

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma retangular de 20x30cm, forre com papel alumínio deixando sobras em dois lados opostos e unte o papel também.

Com um rolo, abra uma das metades de massa entre duas folhas de papel manteiga até que ela fique grande o suficiente para forrar o fundo da forma (se precisar, salpique com um pouquinho de farinha, mas não exagere para que a massa não fique ressecada). Transfira para a forma e ajeite para forrar o fundo, retirando o excesso de massa. Faça furinhos em toda a massa com um garfo e então espalhe o recheio já frio sobre ela. Abra a outra metade de massa com o rolo até que fique do tamanho da forma. Coloque sobre o recheio e pressione com as mãos para a massa aderir ao recheio e corte qualquer sobra de massa. Com uma faca afiada, corte a camada de cima de massa em 24 retângulos. Faça furinhos com um garfo em toda a massa de cima, pincele com o ovo batido e salpique com o açúcar cristal. Asse por 30 minutos ou até que fique dourado. Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Usando como guia os cortes já feitos, corte em barrinhas e sirva.

Rend.: 24 unidades

Sunday, August 02, 2015

Pãezinhos de azeite de oliva e uma notícia excelente

English version

Olive oil buns / Pãezinhos de azeite de oliva

Faz tempo que não posto nada novo aqui no blog, mas há uma boa razão para isso: minha busca por um novo trabalho chegou ao fim! Dias atrás comecei a trabalhar (para quem não sabe, sou assistente executiva) e foi uma semana bem cheia: conhecer pessoas novas, aprender como funciona a empresa e todos os detalhes da minha função. Estou muito, muito feliz por estar trabalhando novamente depois de tantos meses, por isso o post de hoje é de comemoração! \0/

Sei que alguns de vocês vão fugir da receita de hoje por causa das diversas etapas, mas deixem-me dizer-lhes: estes pãezinhos são facílimos e na verdade o necessário aqui é tempo e um tiquinho de preparo com antecedência: não há muito o que fazer com a massa a não ser deixá-la em temperatura ambiente, coberta com filme plástico.

Escolhi esta receita para o post de hoje justamente porque na vida, às vezes, temos de ser pacientes e esperar que o Universo haja em seu próprio ritmo – não dá para apressar certas coisas, não importa o quão ansiosos ou mesmo tristes estejamos (como eu estava semanas atrás). No caso dos pãezinhos, lhes garanto que todas aquelas horas valem a pena: eles são deliciosos e tem uma textura incrível.

Pãezinhos de azeite de oliva
um nadinha adaptados do Bread Cake Doughnut Pudding: Sweet And Savoury Recipes From Britain's Best Baker

Esponja:
65g de farinha de trigo comum
65g de água, temperatura ambiente
1g de fermento biológico seco

Massa:
200g de água morna
1 pitada de açúcar
2g de fermento biológico seco
350g de farinha de trigo comum
4g de sal
90ml de azeite de oliva- eu usei extra-virgem

Faça a esponja: em uma tigela pequena, misture todos os ingredientes. Cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 24 horas.

Pão: coloque a água na tigela da batedeira planetária, junte o açúcar e o fermento biológico e misture com um garfo. Reserve até espumar, cerca de 5 minutos. Acrescente a esponja, a farinha e o sal e misture em velocidade média por 5 minutos ou até que a massa comece a se desprender das laterais da tigela. Continue misturando em velocidade média e vá acrescentando, aos poucos, ¼ xícara (60ml) do azeite (reserve o restante para outra etapa da receita), e então continue misturando em velocidade média até obter uma massa lisa, elástica e brilhante (a massa é bem úmida e grudenta). Forme uma bola com a massa – não precisa ser perfeita – coloque na tigela, cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 1 hora (se estiver muito frio, deixe o forno ligado para deixar a cozinha um pouco menos gelada).

Depois de 1 hora, usando uma espátula de silicone, incorpore as 2 colheres (sopa) restante de azeite à massa, sendo 1 colher (sopa) por vez. Cubra novamente com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por mais 1 hora.

Pincele levemente com azeite uma forma de muffins com 12 cavidades. Divida a massa em 12 partes iguais e modele cada uma delas formando uma bola, deixando o topo liso. Coloque na forma preparada e deixe crescer novamente por 1 hora – enquanto isso, preaqueça o forno a 220°C. Asse os pãezinhos por 15-20 minutos ou até que dourem. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos e então desenforme com cuidado, transferindo os pãezinhos para a gradinha. Sirva mornos ou em temperatura ambiente.

Rend.: 12 unidades

Saturday, July 25, 2015

Bolo Madeira

English version

Madeira cake / Bolo Madeira

Toda vez que digo a alguém que meu marido não gosta de doces geralmente ouço um “não acredito!!!” bem enfático: é tanto bolo, cookie e brownie que entendo ser difícil acreditarem que ele não come nada disso – ele não come, mesmo, mas o restante da família aproveita comigo as delícias todas, sem problemas. :)

Apesar de eu adorar dividir os doces com outras pessoas, há vezes em que quero ter algo só pra mim, como uma fatia de bolo, por exemplo, para acompanhar o café ou o chá, mas por mais que eu adore doces fica difícil dar conta de uma leva inteira em pouco tempo, e foi por isso que fiquei empolgada com este bolo Madeira: a receita dizia que o bolo ficava ainda melhor no dia seguinte (na condição de embrulhá-lo em filme plástico e papel alumínio e deixá-lo de um dia para o outro em temperatura ambiente), daí pensei que bem, provavelmente o bolo ficaria ainda melhor depois de alguns dias e eu estava certa – os sabores cítricos ficaram ainda mais intensos e o perfume é inebriante (toda vez que eu abria o tapué para pegar uma fatia do danado ele estava ainda mais cheiroso).

Este bolo Madeira tem uma textura diferente do outro bolo Madeira deste blog, receita de muito tempo atrás – este é mais compacto, não é fofinho (o outro leva farinha de amêndoa, o que deixa mesmo os bolos mais macios), mas achei perfeito com um cafezinho; este bolo é mais saboroso do que o anterior e os pedacinhos de casca de laranja cristalizada dão um toque interessante.

Bolo Madeira
um nadinha adaptado do delicioso e lindo National Trust Simply Baking

170g de farinha de trigo
1 ¼ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
170g de açúcar cristal
raspas da casca de 1 laranja
raspas da casca de 1 limão taiti
170g de manteiga sem sal, amolecida
4 ovos médios, levemente batidos com um garfo*
1 colher (sopa) de suco de limão taiti
2 colheres (chá) de Cointreau (opcional)
½ colher (chá) de extrato de baunilha
55g de casca de laranja cristalizada, picada – salpique-a com um pouquinho da farinha usada no bolo para que não desça para o fundo do bolo

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma de bolo inglês de 20x10cm, forre-a com papel manteiga e unte o papel também.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento e o sal. Reserve.
Na tigela da batedeira, misture o açúcar e as raspas de laranja e limão e esfregue com as pontas dos dedos até que o açúcar fique aromatizado. Junte a manteiga e bata com a batedeira até obter um creme claro e fofo – raspe as laterais da tigela ocasionalmente.
Junte os ovos, aos poucos, batendo até incorporar cada porção antes de adicionar mais – raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte o suco de limão, o Cointreau e a baunilha. Com uma espátula de silicone, incorpore os ingredientes secos e a casca cristalizada.
Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície. Asse por 50-60 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 30 minutos e então desenforme com cuidado, transferindo o bolo para a gradinha com o auxílio do papel. Deixe esfriar completamente, remova o papel e embrulhe o bolo em uma camada de filme plástico e outra de papel alumínio. Mantenha em temperatura ambiente de um dia para o outro – depois disso, guarde o bolo em um recipiente hermético por até 4 dias em temperatura ambiente.

* meus ovos eram enormes, por isso usei 3 em vez de 4 (cada um tinha 75g)

Rend.: 8-10 porções

Related Posts with Thumbnails